FILME PELÉ ETERNO

FILME PELÉ ETERNO
A prova definitiva de quem é o melhor jogador de sempre

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

FOTO DO DIA: Quando muitos são comparados a apenas um, é sinal que este um é o melhor.

"Quando muitos são comparados a apenas um, é sinal que este um é o melhor."
Odir Cunha,  jornalistahistoriadorescritor e coordenador de História e Cultura no Santos Futebol Clube.


Na foto acima, estão Cristiano Ronaldo, George Best, Diego Maradona, Zico, Cruyff, Ronaldinho Gaúcho, Zidane, Romário, Roberto Rivellino, Neymar, Messi, Eusébio e Ronaldo Nazário. 

Estes 13 jogadores que escolhi como exemplos, têm uma coisa em comum, para além de terem sido gênios da bola: todos eles foram comparados com o Rei Pelé em suas épocas. 

Há tempos atrás escrevi sobre isto, ver AQUI
Eusébio e George Best nos anos 60, Rivelino e Cruyff nos anos 70, Zico e Maradona nos anos 80, Romario nos anos 90, Zidane, Ronaldo e Ronaldinho nos anos 2000 e atualmente Messi, CR7 e Neymar.

A estes 13 jogadores poderíamos acrescentar muitos mais outros jogadores, mas penso que a frase do jornalista Odir Cunha resume tudo.
"Quando muitos são comparados a apenas um, é porque este um é muito bom."

Há seis décadas que quando surge uma nova estrela no futebol mundial, a comparação nunca é com qualquer um dos 13 jogadores da foto acima, é sempre com o Rei.

Força Pelé!!!

sábado, 1 de fevereiro de 2020

VÍDEO: O "pé fraco" do Rei Pelé era tão bom, ou melhor, que o "pé forte" de Messi, em mais um espetacular trabalho do canal youtube BELLAKONA

VÍDEO: O "pé forte" de Messi versus o "pé fraco" do Rei Pelé, em mais um espetacular trabalho do canal youtube BELLAKONA.

Lionel Messi tem um pé esquerdo simplesmente fabuloso, como temos visto semana após semana na Liga Espanhola e nas competições da UEFA. Juntamente com CR7, são os dois maiores jogadores de futebol deste século 21, até a data de hoje. 

Há tempos atrás, publiquei este post ( ver AQUI ) comparando todas as qualidades de Messi e CR7 com as qualidades do Rei Pelé, e até a data de hoje, ninguém mostrou um jogador, vivo ou morto, que fosse igual ao Rei.

No vídeo abaixo, produzido pelo excelente canal BELLAKONA no Youtube, podemos ver - e comprovar -  que o pé esquerdo do Rei Pelé, no caso o "pé fraco", era tão bom ( ou melhor ) como o "pé forte" de Messi. 




O que eu gostava de ver era se o pé direito de Messi, o "pé fraco", é capaz de ser tão bom como o "pé forte" do Rei Pelé. Até a data de hoje, ainda não vi. 
Para ser o melhor jogador de futebol da história, este jogador teria de dominar todos os fundamentos do futebol com ambas as pernas, e até a data de hoje, só vi um: chama-se Edson Arantes do Nascimento.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

As estrelas de hoje conseguiriam sobreviver sem a proteção da FIFA e suas afiliadas?

Aqui Pelé recebe uma das muitas entradas violentas das quais ele
foi vítima durante a sua carreira. O adversário continuou em campo.
As estrelas do futebol de hoje conseguiriam sobreviver sem a proteção da FIFA, UEFA, COMENBOL e todas as outras afiliadas?

O futebol de hoje em dia é bastante vigiado com muito cuidado por 30 câmaras de TV, nada escapa aos olhos do slow-motion em super HD. 

E para que a verdade esportiva seja cumprida com rigor e imparcialidade, foi criado o VAR, para ajudar o árbitro em lances polêmicos ou em jogadas ilegais que o árbitro não consegiu ver em tempo real, que prejudicaram uma equipe em benefício do adversário.

Hoje em dia, os árbitros assinalam falta em lances que na época em que Pelé jogava nunca eram assinalados. Por vezes, o jogador leva cartão amarelo ( e às vezes cartão vermelho ) por simplesmente puxar a camisa do adversário. Hoje em dia, o último defensor que cometa falta no jogador adversário que vai sozinho em direção à baliza leva cartão vermelho.

Em 1970, um jogador uruguaio entra com os dois pés
nas pernas de Pelé. O uruguaio continuou em campo.
Na época em que Pelé jogava, muitas vezes a tática do adversário era cometer uma falta violenta logo no início do jogo, para tentar lesionar seriamente o melhor jogador do time adversário e assim tirá-lo de campo. 

Porque nesta época era muito raro o árbitro expulsar alguém do campo na primeira entrada violenta sobre o adversário. Não existiam os cartões amarelo e vermelho, nem haviam substituições. 

Apenas a partir da Copa do Mundo de 1970 é que os cartões e as substituições entraram em vigor.

Pelé era rápido, era esguio, era muito forte fisicamente, mas muitas vezes não conseguiu escapar da violência com que os seus marcadores o "brindavam". 

Talvez seja por esta razão que atualmente Pelé já não consegue estar de pé. 
Foram 2 décadas sempre tentando fugir da violência dos defensores adversários.
Foram 2 décadas levando porrada nas pernas sem a proteção que a FIFA oferece aos grandes astros do futebol de hoje em dia.


Já havia escrito sobre este assunto AQUI  onde mostrei os vídeos de dois verdadeiros craques, Zico e Maradona, que foram vítimas de extrema violência, além das poucas imagens registradas em vídeo onde Pelé é atingido de forma desleal por adversários.

As estrelas do futebol de hoje conseguiriam sobreviver sem as 30 câmaras de TV em HD? 
Sem cartões amarelos e vermelhos? 
Sem substituições?
Sem o Vídeo Árbitro?
Sem as punições da FIFA sobre a violência no futebol hoje em dia?

Jogadores como Cristiano Ronaldo, que são fortes fisicamente, talvez conseguissem, mas tenho dúvidas de que brilhariam tanto como hoje. 

E jogadores como Messi e Neymar, não tão fortes fisicamente, quanto tempo iriam aguentar? 

Pelé aguentou e...brilhou.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Antes de Pelé, o número 10 era apenas....um número:-)

Antes de Pelé, o número 10 era apenas....um número:-)

Um erro da CBD (na época Confederação Braseileira de Desportos ), que deu origem à CBF ( Confederação Brasileira de Futebol ), quase eliminou o Brasil de sua sexta Copa do Mundo sem, ao menos, entrar em campo. A entidade deixou de dar número aos jogadores no prazo previsto pela organização do Mundial, fato que poderia desclassificar a equipe. Sobrou, então, para o representante do Uruguai, sr. Vilizio, ordenar a numeração, considerada “esdrúxula” pelo jornal A Gazeta Esportiva.

O goleiro Gilmar, por exemplo, ficou com a camisa nº 3. Garrincha, que habitualmente jogava com a camisa 7, jogou com a 11. E Pelé, que tinha apenas 17 anos e, apesar de grande promessa, ainda não era o Rei do Futebol, herdou a camisa 10, número que a partir daí ficaria marcado para sempre como símbolo de craque do time.

Em sua primeira Copa do Mundo, Pelé só entraria em campo no terceiro jogo. Antes de embarcar para o campeonato, em um amistoso contra o Corinthians, no Pacaembu, o adolescente jogador do Santos FC sentiu uma entrada dura de uma defesa durante um jogo treino, e ficou afastado dos gramados. Por isso, assistiu das arquibancadas à vitória em cima da Áustria na estreia e o empate sem gols com a Inglaterra.

“Eu fiquei de fora, mas, para mim, tudo era novidade. Era uma Copa do Mundo”, relembra, em entrevista exclusiva à Gazeta Press. Mas era sua hora de brilhar.

Com o número 10 nas costas e chuteira no pé, fez sua tradicional oração antes de entrar no Estádio Ullevi, em Gotemburgo. Era 15 de junho de 1958, 60 anos depois, Pelé relembra com carinho de sua estreia em Copas do Mundo. 



“Apesar de eu ser o jogador mais jovem da Copa, com 17 anos, eu pensava muito no povo brasileiro e na minha família. Estava muito confiante”, conta.


Foi a primeira vez de Pelé e Garrincha, em campo, juntos, defendendo a camisa verde e amarelo. Vitória brasileira, com dois gols de Vavá, o segundo, com passe de Pelé.

“Mas a Seleção não era só Garrincha e Vavá. Toda a nossa equipe estava muito confiante”, lembra o Rei. Saíram ovacionados e os jornais de todo País destacavam o bom futebol do novato, que impressionava os mais fortes rivais.


Antes de Pelé o número 10 era apenas um número. Depois de Pelé, a camisa 10 passou a ser a camisa mais cobiçada, e geralmente usada pelo melhor jogador da equipe, usada por alguns dos melhores da História. 



quarta-feira, 1 de janeiro de 2020

Roberto Rivelino, 74 anos! Feliz Aniversário!



Hoje, 1 de janeiro, é dia de aniversário de um dos maiores gênios da história do futebol.
Roberto Rivellino faz hoje 74 anos de idade

Está no top-10 da FIFA como um dos mais importantes camisa 10 na história nas Copas do Mundo.

Veja os outros 3 posts que fiz sobre Roberto Rivellino AQUI.

Mas hoje, venho homenagear Rivellino, um dos meus ídolos de infância e adolescência,
mostrando alguém muito especial, para quem Rivellino era o seu ídolo de infância:-)



No vídeo abaixo: 
Se o antigo craque da Seleção Brasileira e do Nápoli, Antônio de Oliveira Filho, 
que tinha a alcunha de "Careca", diz que Maradona beijou o pé esquerdo de Rivelino, 
quem vai dizer que não?:-)




AQUI, uma reportagem especial da TV TyC Sports de Buenos sobre Roberto Rivellino.


E no vídeo abaixo, uma divertida entrevista de Roberto Rivellino ao CANAL ZICO 10, no youtube.




FELIZ ANIVERSÁRIO, RIVA!!!

terça-feira, 31 de dezembro de 2019

FELIZ 2020!!! "Meu pai sempre disse: 'não importa o que digam no futuro, Pelé foi o melhor'.

Pelé e Klopp em 2006 na Copa do Mundo na Alemanha
🎉🎆FELIZ 2020 
A TODOS!!!🎊🎇

O blog termina este ano com uma frase bastante elucidativa de Jurgen Klopp, treinador campeão europeu e mundial pelo Liverpool, quando perguntado sobre quem é o melhor jogador de futebol de todos os tempos:


“Meu pai me deu um conselho quando eu era bem jovem. Ele disse que não importava o que alguém me dissesse no futuro, era para eu não esquecer que Pelé é o melhor”. 

“Conheci ele na Copa do Mundo de 2006 quando fazia comentários para uma estação de televisão. Não costumo ficar nervoso, mas naquele momento eu só conseguia ficar tremendo. Ele é uma pessoa maravilhosa”, complementou. 

Klopp tinha apenas dez anos quando Pelé encerrou sua carreira no futebol. 
Mesmo assim, talvez não seja mesmo preciso ter observado o jogador em atividade para se certificar de sua eficiência e grandeza. 
"A primeira coisa que penso no futebol do Brasil é no Pelé. 
Para mim, [o melhor] foi obviamente Pelé".

Abaixo, um vídeo feito pelo canal do youtube  heikoxxxxxxmostra mais um encontro entre o Rei Pelé, que foi convidado pela German TV Channel ZDF no dia do jogo EUA x Repéblica Checa, e Jurgen Klopp.


O blog Sir Pelé, The King of Football, deseja um 
FELIZ 2020 A TODOS!!!!

domingo, 29 de dezembro de 2019

Números de Pelé até aos 15 anos de idade. No campeonato de 1955, Pelé estava proibido de ultrapassar a linha de meio-campo, senão era falta a favor do adversário:-)


Números de Pelé até aos 15 anos de idade.


Pelé aos 8 anos de idade já jogava na equipe de *mirins.
* Que nos dias de hoje é chamada de equipe sub-12 / sub-13.

Pelé aos 12 anos de idade já jogava na equipe de *infanto-juvenis.
*Que nos dias de hoje é chamda de equipe sub-15 / sub-16.




Pelé aos 15 anos de idade já jogava na equipe principal do Santos Futebol Clube.

Abaixo, a lista dos times amadores nos quais Pelé jogou na infância e adolescência antes de ser contratado pelo Santos FC aos 15 anos de idade: 

Sete de Setembro; Vai-quem-quer; Canto do Rio; Ameriquinha; São Paulinho de Curuçá, Radiun (futsal); Bauru Atlético Clube e Noroeste de Bauru, 

em mais um excelente vídeo produzido pelo canal youtube



Abaixo, duas histórias do livro "DE EDSON A PELÉ: A INFÂNCIA DO REI EM BAURU", escrito pelo jornalista Luiz Carlos Cordeiro ( 1942-2010 ), que retrata a infância e adolescência vividas por Pelé em Bauru (345 km a noroeste de São Paulo).


Capa do livro, lançado em 1998
ATRAÍA MULTIDÕES
«Pelé já era admirado até mesmo nos jogos na rua. 
"Já aos 12, 13, 14 anos Pelé levava muita, mas muita gente mesmo para assisti-lo. Sem arquibancada, os próprios torcedores formavam um robusto alambrado em volta das quatro linhas dos pequenos campos de futebol da cidade"

NOVA REGRA CRIADA
O livro também revela que Pelé era craque no futsal. 
Em campeonato disputado em 1954, o Radiun foi campeão com 47 gols marcados por Pelé.

«Pelé tinha aos 14 anos um futebol tão superior ao dos garotos de sua idade que a Liga de Futebol Amador de Bauru teve de inventar uma nova regra para que o jogador pudesse disputar um campeonato pelo Radiun, em 1955, sem acabar com as chances das outras equipes.


Depois do primeiro jogo, em que o Radiun goleou por 10 a 0 o time dos Marianos, com 8 gols de Pelé, o dirigente da liga, Sérgio Ribeiro, resolveu que Pelé só poderia ficar no gol ou na defesa.

Se Pelé optasse pela zaga, não poderia passar do meio-campo, caso contrário seria falta em favor do time adversário. Mesmo jogando na defesa, Pelé ajudou o Radiun a ser campeão.»

Quem é bom já nasce feito:-)

sábado, 28 de dezembro de 2019

FOTO DO DIA: OS NÚMEROS DE PELÉ NO SANTOS FC

As coisas são como são.
Estes são os números de Pelé no Santos FC.
Com certeza estes números não serão ultrapassados 
por ninguém em 2020.
(Fonte: site oficial do Santos FC)


quarta-feira, 25 de dezembro de 2019

"Hoje, por ser um analista, um cronista esportivo, eu ainda continuo a procurar um defeito técnico em Pelé... e não encontro. "

"Hoje, por ser um analista, um cronista esportivo, eu ainda continuo a procurar um defeito técnico em Pelé... e não encontro. "(Tostão, campeão do mundo em 1970)

Eu tinha 19 anos em 1966. Era minha primeira convocação para a seleção brasileira. A seleção brasileira fez um jogo-treino contra o Cru­­zeiro, em Caxambu, no interior de Minas, e meu pai foi me ver e assistir ao treino. Ele era louco para conhecer Pelé pessoalmente. Ao vê-lo, pediu um autógrafo, recebeu um abraço carinhoso de Pelé e chorou. Não é todo dia que um homem simples chega perto de um rei.

Pelé foi o maior jogador do mundo de todos os tempos porque tinha, no mais alto nível, todas as virtudes que um craque de sua posição precisa ter."


Tostão hoje em dia é cronista esportivo do jornal "A FOLHA DE SÃO PAULO"
"Hoje, por ser um analista, um cronista esportivo, eu continuo a procurar um defeito técnico em Pelé... e não encontro. "
Cena muitas vezes repetida quando Pelé e Tostão
jogavam pela Seleção Brasileira.

Pelé era muito habilidoso, técnico, criativo, forte, veloz, autoconfiante, ambicioso e aguerrido. Quanto mais difícil a partida, mais ele pedia a bola e se agigantava.

Além de tudo isso, Pelé, literalmente, enxergava mais do que os outros. A estrutura anatômica de seu globo ocular, com um olhar saliente e expressivo, aumentava seu campo visual.

Pelé parecia enxergar até o que estava às suas costas.

Antes de a bola chegar a seus pés, Pelé me olhava, parecendo di­­zer o que ia fazer. E fazia. Eu tentava acompanhá-lo. Não era fácil. A comunicação analógica, por meio de gestos, de olhares e de mo­­vi­­men­­­­tos do corpo, é menos exata, mas muito mais ampla do que a comunicação digital, com palavras.

Pelé tinha o que os especialistas chamam hoje de inteligência cinestésica. Parecia ter um megacomputador no corpo. Em fração de segundos, mapeava tudo o que estava a sua volta, observava os movimentos e calculava a ve­­locidade da bola, dos companheiros e dos adversários. Prefiro chamar isso de saber inconsciente, que antecede ao raciocínio lógico. Ele sabia, sem saber que sabia."

"As pessoas que não viram Pelé jogar ao vivo, no gramado ou na televisão, acham que o auge de Pelé foi na Copa de 1970. 
O esplendor técnico de Pelé foi de 1958, com 17 anos, até mais ou menos metade da década de 1960.

Antes da Copa de 1970, muitos diziam que Pelé estava pesado e que não conseguia jogar várias partidas seguidas com a mesma exu­­berância. Pelé sabia disso e se preparou para se despedir da seleção com grandes atuações e com o título mundial. Foi o que aconteceu.
A super equipe da Copa do Mundo de 1970, com um ataque de sonho:
Jair, Rivellino, Tostão, Pelé e Paulo César "Caju",
que jogou no lugar de Gerson no jogo contra a Inglaterra.

Pelé era um bom companheiro, no campo e na concentração. Ele gostava de ficar no quarto. Ele não tinha comportamento de super estrela, nem queria tratamento de super estrela nem privilégios. Tratava bem a todos. 


Durante o jogo, Pelé recebia orientações, broncas e não respondia com rancor.

Fora de campo, Pelé atendia a todos com um largo sorriso. Nunca o vi triste nem chateado.

Diferentemente de quase todas as grandes estrelas, em todas as atividades, em que há muitos conflitos entre a pessoa e o personagem, entre o criador e a criatura, Pelé e Edson viviam em harmonia. Pareciam a mesma pessoa. Um não incomodava o outro."

"Não conheço nada da vida pessoal de Pelé, mas deduzo que ele nunca foi um empresário. Foi e é um garoto-propaganda. Além de anunciar produtos, Pelé vendeu seu nome a empresas e passou a ter vários sócios, nem sempre honestos. Uma mistura de desconhecimento com ingenuidade e também de ambição com vaidade, características do ser humano. Isso não tira suas responsabilidades.

Pelé vive viajando pelo mundo, vendendo seu sorriso, sua simpatia e sua imagem. Para isso, procura ficar bem com todos, ser politicamente correto e parecer melhor do que é. Pelé não tinha defeitos. Edson tem, como todo cidadão.

Com raras exceções, os grandes mitos, em todas as atividades, não são, nunca foram nem se deve esperar que sejam exemplos de cidadãos. Eles são especiais por seus talentos."

"Pelé faz 70 anos. Aparenta ter muito menos.

Imagino que aos 90 o mundo irá vê-lo anunciando algum produto e sorrindo."

"Pelé parece eterno. E é. "O que a memória amou se tornou eterno." (Adélia Prado)

terça-feira, 24 de dezembro de 2019

BOAS FESTAS!!!


O blog Sir Pelé, 
The King of Football 
deseja a todos um 
Feliz Natal.


Template - Dicas para Blogs