FILME PELÉ ETERNO

FILME PELÉ ETERNO
A prova definitiva de quem é o melhor jogador de sempre

quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Diego Armando Maradona, descanse em paz

 Hoje é um dia muito triste para o esporte mundial.

Descanse em paz, Diego Armando Maradona.


quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Há exatos 51 anos, a FIFA enviou um diploma que oficializou os 1000 gols de Pelé

Em 19 de novembro de 1969, há exatos 51 anos trás, Pelé marcou o gol número 1000, aos 29 anos de idade.


A FIFA enviou um diploma que consagrou o recorde, assinado por Sir Stanley Rous, o presidente da FIFA na altura.👑 (ver AQUI ).

Na legenda da foto acima diz: 
"Ricardo Serran, editor de esportes de "O Globo", entregou a Pelé o Diploma em que a FIFA consagra o recorde."

Dito isto, nenhum jogador de futebol nos dias de hoje está perto de igualar ou ultrapassar o Rei do Futebol em número de gols.

End of story.


domingo, 25 de outubro de 2020

A Mensagem de Feliz Aniversário de Barack e Michelle Obama para o Rei do Futebol


Tradução: 



Caro Pelé

Feliz Aniversário! Michelle e eu enviamos nossos mais calorosos desejos de uma espetacular celebração. Se é em pessoa ou virtualmente, nós esperamos que este momento seja cheio de muita alegria e que inclua todos os seus entes queridos quanto possível.

Além de alcançar o topo de um esporte global, você tem sido uma inspiração para gerações de jovens ao redor do mundo. Sua própria história tem demonstrado que é possível através de trabalho duro, criatividade e um comprometimento em derrubar barreiras. Tive muita alegria em te conhecer e desejo a você o melhor neste dia especial.

Eu acredito que você tem um imenso orgulho em tudo o que você tem contribuído e eu sei que você tem muito mais para dar. Feliz Aniversário!

Sinceramente, Barack Obama.

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

FELIZ ANIVERSÁRIO REI PELÉ | 80 ANOS DE VIDA, 63 ANOS DE REINADO ABSOLUTO


Tudo já foi dito e escrito acerca do Rei Pelé. 

Nos últimos 63 anos, qualquer estrela que surgiu no futebol mundial foi comparada com o Rei. 

O Rei Pelé, que parou de jogar em 1977, continua a ser a referência.

Nestas últimas 6 décadas, surgiram nomes como Cruyff, Zico, Eusébio, Maradona, Rivellino, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Zidane, Platini, Baggio, George Best, e atualmente, Messi, CR7, Mbappé e Neymar. 

Todos eles, sem exceção, foram comparados com o Rei.

Alguns deles superaram Pelé em um ou outro detalhe, mas no total, nenhum deles conseguiu sequer igualar o Rei no total da carreira, nem chegaram perto. E já não vão a tempo.

Na legenda da foto acima diz: "Ricardo Serran, editor de esportes de "O Globo", entregou a Pelé o
Diploma em que a FIFA consagra o recorde."
O Diploma estava assinado por Sir Stanley Rous, presidente da FIFA na época.

Existe uma coisa que é inquestionável desde 19 de novembro de 1969, mas que muitos profissionais da imprensa em alguns países do mundo, e mesmo no Brasil, não querem ver 
ou preferem omitir: 
os 1000 gols de Pelé foram oficializados pela FIFA, através de um diploma assinado pelo próprio presidente da FIFA na altura, Sir Stanley Rous. Este diploma foi entregue a Pelé neste mesmo dia, no vestiário do Estádio do Maracanã após o jogo CR Vasco da Gama 1 x 2 Santos FC, na foto acima ( ver reportagem AQUI ). 

Portanto, apesar de muitos profissionais da imprensa, inclusive no Brasil, escreverem que Pelé pode ser igualado ou ultrapassado em número de gols ainda este ano, a verdade é: segundo o diploma da FIFA entregue a Pelé há 40 anos atrás, nenhum jogador de futebol em atividade até a data de hoje está sequer perto de igualar ou ultrapassar o número de gols que Pelé marcou. 
Ponto final sobre este assunto.

Não me canso de escrever esta frase 
do autor da 
música Garota de Ipanema, o genial Tom Jobim:
"PELÉ é um esportista excepcional e merece o título de Rei do Futebol. 
Teve azar, porque nasceu no Brasil, onde o sucesso alheio é como uma ofensa pessoal."




Pelé e Vinícius de Moraes em Buenos Aires, 1968

Também o outro autor de Garota de Ipanema, o gênio da poesia Vinícius de Moraes, prestou uma sentida homenagem ao Rei em uma carta aberta (ver AQUI ). 

A reportagem em vídeo da TV Globo sobre este encontro de Vinícius com Pelé pode ver AQUI.

Como escrevi no início, tudo já foi dito e escrito acerca do Rei Pelé. Ainda tentei escrever um texto que fizesse justiça ao Rei do Futebol, mas o texto que escrevi em 2017, quando Pelé completou 77 anos, diz absolutamente tudo (Ver AQUI).

O vídeo abaixo, muito bem produzido pelo canal youtube FUTEBOL NACIONAL, é uma bela amostra de uma pequena parte do vasto repertório do Rei Pelé. 

FELIZ ANIVERSÁRIO REI PELÉ!!!

terça-feira, 4 de agosto de 2020

Pelé parabeniza Obama por aniversário: "Pessoas como você fazem o mundo melhor'...

Pelé parabeniza Obama por aniversário: 'Pessoas como voce fazem o mundo melhor'


Pelé, que normalmente usa seu Instagram para mostrar momentos da carreira vitoriosa no futebol, fez um raríssimo post de cunho mais pessoal para dar parabéns ao ex-presidente americano Barack Obama, que está completando 59 anos nesta terça-feira (4).

"Para mim, Barack Obama representa a capacidade do ser humano de mudar o mundo através das boas ideias. Eu te admiro profundamente, Barack", escreveu Edson Arantes do Nascimento, o eterno Rei do Futebol. "Pessoas como você fazem o mundo melhor. Feliz aniversário!", disse o craque.

Obama recebeu a visita do Rei em 2019, "a lenda viva" que o ex-presidente dos EUA sempre quis conhecer (ver AQUI)


Ele ilustrou seu post com uma imagem ao lado de Obama e dando para ele uma camisa da seleção brasileira com a dedicatória "Para presidente Obama, com abraço, Edson Pelé."

Nota do autor: Tanta grandeza e história em uma só foto:-)

sábado, 1 de agosto de 2020

FOTO DO DIA: PELÉ e KOBE BRYANT

Pelé e Kobe Bryant

PELÉ, TEOFILO CUBILLAS E KOBE na Copa do Mundo de 2014 no Brasil.
Em 2014, 3 gigantes do esporte em uma só foto. Pelé, Teófilo Cubillas e Kobe Bryant.


O mundo perdeu um ìcone dos esportes, com a morte de Kobe Bryant. Um ícone, não só do basquete norte americano, mas como também do mundo todo.

Em 2013, Pelé enviou uma camisa
autografada para Kobe Bryant como
prenda de aniversário.
Mas apesar de toda a tristeza, o mundo pelo menos vai ter um grande legado de Kobe Bryant, que contou certa que vez ao jornal Folha de São Paulo, que Pelé e Oscar Schmdit, o inspiraram.

Em entrevista no ano de 2003, ao jornal Folha de São Paulo, Kobe Bryant, revelou que na verdade ele queria ser jogador de futebol, porém mesmo indo depois para o basquete, Pelé acabou inspirando a sua carreira.

Ele começa contando que certa vez os seus pais ouviram quando uma bola entrou voando pela janela de casa em Cireglio, na Itália, onde moravam.

Eles vieram para o quintal, correndo e gritando: “KOBE!”. Eu sabia que eu estava em apuros (risos).

“Você enlouqueceu! O que está fazendo?”

Kobe Bryant disse que naquela hora não tinha desculpas para apresentar.

“Não tinha para onde correr, onde me esconder. Olhei fundo nos olhos irados de minha mãe e falei: “Mãe, quero sero Pelé!”.

Ele ainda acrescentou, que mesmo não se tornando um jogador de futebol, no entanto ao tentar imitar o rei do futebol, isso acabou refletindo no seu jogo na quadra de basquete.


Pelé e Oscar Schmidt em evento da Gillete em 2014.
Além disso, nessa mesma entrevista, Kobe ressaltou ainda que Oscar Schmidt também foi uma grande referência para ele.


“Brasil, você não tem ideia de quanto impactou minha vida e carreira, desde Pelé até Oscar Schmidt, desde uma janela quebrada até uma partida de 81 pontos. Obrigado!” finalizou.



No vídeo abaixo, uma parte da entrevista de Kobe Bryant à ESPN. ( Ver AQUI )



RIP KOBE.

sábado, 25 de julho de 2020

FOTO DO DIA: Pelé e Ayrton, a cores


Esta foto de duas lendas do esporte mundial, foi tirada num dia muito feliz e inesquecível para o esporte brasileiro. 
Ver AQUI

sábado, 11 de julho de 2020

FOTO DO DIA: O Diploma enviado pela FIFA que consagrou o 1000º gol de Pelé

Na legenda da foto acima diz: "Ricardo Serran, editor de esportes de "O Globo", entregou a Pelé o
Diploma em que a FIFA consagra o recorde."
O Diploma estava assinado por Sir Stanley Rous, presidente da FIFA na época.

1ª página de "O Globo" de 20/11/1969, edição matutina.

No dia 20 de novembro de 1969, a 1ª página de um dos maiores jornais do Brasil, "O Globo", destacava meia página ao 1000º gol de Pelé, marcado na noite de 19/11/1969 no estádio do Maracanã no Rio de Janeiro, na vitória sobre o CR Vasco da Gama por 2 x 1. Para os meus leitores de todo o mundo que não percebem a língua portuguesa, aí vão os textos escritos na 1ª página, destacados por 3 cores.

Na parte destacada em amarelo, o texto diz:
"Foi aos 32 minutos do 2º tempo, quando mais de 60 mil pessoas, no Maracanã, já desesperavam de ver ver o milésimo gol de Pelé. O CR Vasco da Gama tentava defender o empate a uma bola e o Santos FC pressionava. De repente, Pelé apareceu como um furacão na área do Vasco e Fernando não hesitou: fêz "penalty". Era a oportunidade e Pelé não a desperdiçou. Todo mundo parou para ver, até Andrada (goleiro do Vasco), que assim entrou para a história como o "goleiro mil". (ESPORTES)"

A parte destacada em verde diz:
"Foi uma noite de glória sem para para o Rei do futebol. Pelé começou por hastear a Bandeira Nacional (foto), e depois, em campo, perseguiu o milésimo tento com o maior afinco. Quando, finalmente, conseguiu a extraordinária façanha, foi o delírio, a apoteose: houve invasão de campo por fotógrafos e cinegrafistas, enquanto a platéia explodia de entusiasmo. O maior jogador de todos os tempos acabava de conseguir um recorde praticamente imbatível e a que O GLOBO, obtendo por antecipação o diploma da FIFA, dera foros de acontecimento não apenas nacional, mas mundial.  Agora para Pelé, só resta outra grande meta a atingir: a Copa Jules Rimet, em 70, com as "feras" do Saldanha. (Assim era chamada a Seleção Brasileira quando o treinador era João Saldanha.)

A parte destacada em azul apresenta a seguinte legenda:
RICARDO SERRAN, editor de esportes de "O GLOBO", entregou a Pelé o diploma em que FIFA consagra o recorde.
Mais abaixo, as manchetes em tamanho maior, com os textos escritos em português ( clicar para ampliar as imagens).


As fotos acima não são montagem, nem são falsas. 
Quem tiver qualquer dúvida da veracidade das imagens acima, vá ao arquivo do jornal "O GLOBO" na internet ( tem que ser assinante ) e procure o dia 20 de novembro de 1969 (ver AQUI ).
Estão lá, digitalizadas, todas as páginas das edições matutina e vespertina.

Como podem ver com os próprios olhos, a FIFA estava a acompanhar os gols de Pelé, assim como todos os jornalistas e historiadores, brasileiros ou estrangeiros, daquela época. 

E já prevendo que mais cedo ou mais tarde o 1000º gol iria aparecer, a FIFA enviou em finais de outubro de 1969, um diploma assinado por Sir Stanley Rous, presidente da entidade naquela época, para consagrar o gol 1000 de Pelé, como foi publicado na página 25 da edição de 2 e 3 de novembro de 1969 do jornal Correio da Manhã do Rio de Janeiro ( no printscreen destacado em amarelo).

Diz o texto em sua 1ª parte, num total de 3 partes: 
"Nem mesmo a FIFA sabe dizer se algum outro jogador se aproximou, sequer, da marca dos 1000 gols. O diploma que Sir Stanley Rous enviou para ser entregue a Pelé, no dia em que ele completar a série, não menciona a palavra record, nem sugere que o feito é inédito. No entanto, a esta altura, em todas as partes do mundo, comenta-se a progressão que Pelé vem cumprindo no sentido de chegar ao milésimo gol. E não há referência a outro goleador que tenha chegado a tanto."

( Quem se interessar em ver o resto do texto e todas as reportagens ( escritas em português ) da página 25 sobre Pelé, e também todas as outras páginas, ver  AQUI ). 



NOTA do autor do blog: 
A História foi escrita em letras de ouro quando em 19 de novembro de 1969, 
Pelé atingiu a marca de 1000 gols na sua brilhante carreira, 
marca esta consagrada pela entidade máxima do futebol mundial, a FIFA.
Ponto final neste assunto.

sexta-feira, 3 de julho de 2020

FIFA 20 | PELÉ GOALS | PARTE 5

Se Pelé jogasse hoje em dia, seria assim:-)

Pelé não driblava para fazer malabarismos ou para humilhar os adversários. Pelé driblava com objetividade, com arte e na medida certa, sempre para encontar o caminho mais curto até a baliza adversária. Eu quando jogo com Pelé no FIFA 20, procuro tentar fazer as jogadas e os gols que eu vi ele fazer. Consegui algumas vezes no FIFA 19, ver AQUI. E com certeza ele faria assim, sem perder tempo com dribles desnecessários quando tem a chance de chutar e marcar gols.

Nota: Assim como em todos os vídeos anteriores que publiquei, no FIFA 20 as definições de jogo e dos jogadores na PS4 são sempre as originais de fábrica, nada foi alterado para melhorar a performance dos chutes, dribles, sprints ou outra coisa qualquer.

Mesmo porque se voce fizer "batota" para ganhar os jogos jogando contra a máquina, quando voce jogar online não poderá fazê-lo.

Fazer batota offline para marcar gols fantásticos e fazer jogadas espetaculares para publicar nas redes sociais é o mesmo que enganar a si próprio.
Porque ao fazer batota contra a máquina, você nunca poderá saber se é bom o suficiente para vencer jogos contra outros jogadores online.
Quem joga no FIFA 20 sabe disso muito bem.
Modo: o mais difícil. 6 minutos cada parte.


domingo, 28 de junho de 2020

Se misturarem as melhores qualidades de Messi e CR7 num só jogador, a resposta é simples




Por MarcosAOTeixeira em 2019.

Vira e mexe, aparecem polêmicas que tentam comparar jogadores diferentes, de épocas diferentes, a vaticinam que este é melhor que aquele e pronto. A mais nova é sobre o melhor jogador de todos os tempos — ou GOAT (Greatest Of All Times, de acordo com as redes sociais): Messi, Cristiano Ronaldo ou Pelé.
O estopim foi a fase de oitavas de final da Liga dos Campeões de 2019, quando Cristiano passou por cima do Atlético de Madri e fez os três gols que classificaram sua Juventus aos quartos da competição. Um luxo. A resposta de Messi foi uma atuação de gala (mais uma) no passeio sobre o Lyon, completada na soberba partida feita na goleada sobre o Bétis, pelo Campeonato Espanhol.

Nada de novo, portanto, do que ambos já vêm fazendo há pelo menos 12 anos.

O duelo entre eles é o que há de mais bonito no futebol mundial e ninguém, atualmente, sequer está próximo dos dois. O português é o maior artilheiro da Liga das Campeões, torneio que conquistou em cinco oportunidades, o mesmo número de Bolas de Ouro que possui. Seis tem o argentino, que venceu a maior competição de clubes do mundo quatro vezes. Isso fora o que fazem no dia a dia, o que não é pouco, ainda mais se considerarmos os feitos dos jogadores, com marcas atrás de marcas, hat-tricks aos montes e atuações monumentais nos principais palcos do mundo.

Aí vem a questão: eles já superaram o Rei? Bom, vamos a alguns fatos: Pelé, na maior competição do futebol, a Copa do Mundo, tem três títulos nas quatro Copas que jogou, o mesmo número de Copas que tiveram Messi e Cristiano em campo. Messi, finalista em 2014, tem seis gols em Copas, todos na primeira fase; Cristiano, semifinalista em 2006, quando foi um jovem coadjuvante do time que tinha Figo como principal expoente, tem um a mais, e nenhum a partir das oitavas. Pelé, que marcou 12 gols, só na Copa de 58 fez seis, três deles na semifinal com a França e dois na final, sobre a Suécia, sede daquela edição. Pelé, então coroado Rei, tinha 17 anos.




Há quem diga que Pelé enfrentou jogadores menos capazes do que a dupla de antagonistas do Século XXI, que “o Campeonato Paulista nem se compara com com La Liga ou com a Champions”. Ora, entre os anos 1950 e 1960 — que concentram as três primeiras conquistas mundiais pela Seleção, fora os títulos mundiais do Santos FC, em 62–63 — os melhores jogadores estavam no Brasil. Todos os campeões das Copas de 1958 e 1962 disputavam o Rio-S.Paulo, torneio em que Pelé deitava e rolava, como fazia em todos. Nem na Copa do Mundo de 1970 havia um forasteiro sequer. Eis as listas:


 


1958:
Goleiros: Castilho (Fluminense) e Gylmar (Corinthians);
Laterais: De Sordi (São Paulo), Djalma Santos (Portuguesa), Nilton Santos (Botafogo) e Oreco (Corinthians);
Zagueiros: Bellini (Vasco), Mauro (São Paulo), Orlando (Vasco) e Zózimo (Bangu);
Meio-campo: Dida (Flamengo), Didi (Botafogo), Dino Sani (São Paulo), Moacir (Flamengo) e Zito (Santos);
Atacantes: Garrincha (Botafogo), Joel (Flamengo), Mazzola (Palmeiras), Pelé (Santos), Pepe (Santos), Vavá (Vasco) e Zagallo (Botafogo).






1962:
Goleiros: Castilho (Fluminense) e Gylmar (Santos);
Laterais: Altair (Fluminense), Djalma Santos (Palmeiras), Jair Marinho (Fluminense) e Nilton Santos (Botafogo);
Zagueiros: Bellini (São Paulo), Jurandir (São Paulo), Mauro (Santos) e Zózimo (Bangu);
Meio-campo: Didi (Botafogo), Mengálvio (Santos), Zequinha (Palmeiras) e Zito (Santos);
Atacantes: Amarildo (Botafogo), Coutinho (Santos), Jair da Costa (Portuguesa), Garrincha (Botafogo), Pelé (Santos), Pepe (Santos), Vavá (Palmeiras) e Zagallo (Botafogo).






1970:
Goleiros: Ado (Corinthians), Felix (Fluminense) e Leão (Palmeiras);
Laterais: Carlos Alberto (Santos), Everaldo (Grêmio), Marco Antonio (Fluminense) e Zé Maria (Portuguesa);
Zagueiros: Baldocchi (Palmeiras), Brito (Flamengo), Fontana (Cruzeiro) e Joel Camargo (Santos);
Meio-campo: Clodoaldo (Santos), Gerson (São Paulo), Rivelino (Corinthians) e Piazza (Cruzeiro);
Atacantes: Edu (Santos), Dario (Atlético Mineiro), Jairzinho (Botafogo), Paulo Cesar Caju (Botafogo), Pelé (Santos), Roberto Miranda (Botafogo) e Tostão (Cruzeiro).

Ou seja, este argumento, que tenta colar que os campeonatos europeus eram mais fortes que o Campeonato Paulista ou o Carioca, não se sustenta.

Há os que dizem que o futebol era muito mais fácil, que os sistemas táticos não eram tão fechados e que o futebol não era tão físico e veloz como é hoje. Não deixa de ser verdade, mas a tal facilidade é discutível: o esporte, como tudo no mundo, evoluiu. Se há menos espaços, e não há folga mesmo, as condições são bem melhores. Pelé pegou gramados ruins, equipamentos rústicos, bola pesada e uma época em que a medicina esportiva era incipiente, além do fato de o jogo ser mais violento, sem tantas câmeras pegando as pancadas que os jogadores levavam. 


Messi e Cristiano, por sua vez, têm à disposição uma equipe de profissionais, tratamentos que atenuam o desgaste físico das partidas, programas de computador que ajudam a analisar o desempenho, bolas que começam e terminam o jogo com o mesmo peso, gramados em perfeitas condições, uniformes que não retêm suor, não terminam o jogo empapados ou, como a pelota, com uma parcela da chuva que eventualmente tenha caído.


Alguns fatores favoreceram o Rei, é bom destacar, como ter companheiros de seleção melhores, mas não serve como desculpa, principalmente para Messi, porque Maradona com piores companheiros de seleção do que Messi, levou a Argentina a duas finais de Copa do Mundo, em 1986 e 1990, e foi campeão do mundo 1986. 

O principal deles é que ele, assim como Messi, vestiu a mesma camisa durante toda a carreira (a passagem pelo Cosmos aconteceu após a despedida oficial pelo Santos), não precisando se adaptar a novas formas de jogo e à vida em outros sítios. Nos dias de hoje, e isso é um ponto a favor do argentino, é praticamente inimaginável que Pelé permanecesse no Santos FC nos dias de hoje.

Da mesma forma, não resta dúvida de que o Rei seria um jogador ainda mais completo, uma vez que nasceu com todo aquele enorme talento. Pelé, que media 1,73m (achou que fosse mais alto, né?), provavelmente, seria mais alto e mais forte, considerando o resultado da sua aplicação, combinada com a evolução humana e os avanços em todas as áreas, incluindo a esportiva.

Temporada após temporada, Messi e Cristiano se reinventam, tornam-se melhores porque Messi é e Cristiano faz de tudo para ser, e consegue. Um é arte pura. O outro, obstinação. E a pergunta inevitável é a seguinte: como seria um jogador com o talento de Messi e a determinação de Cristiano?

A resposta é simples: este é Pelé.

Template - Dicas para Blogs